sábado, 20 de agosto de 2011

ATIVIDADES CIENTÍFICO-CULTURAIS DOS CURSOS DE LETRAS E PEDAGOGIA - 2º SEMESTRE DE 2010


RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA ESCOLA

LEIA OS TEXTOS ABAIXO E DISCUTA COM SEUS COLEGAS SOBRE A ORIENTAÇÃO DO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO SOBRE AS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA INCLUSÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA SALA DE AULA.
Parecer CNE/CP nº 03/04 e Resolução CNE/CP nº 01/04 institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e africana.
BRASIL - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO
"Convivem, no Brasil, de maneira tensa, a cultura e o padrão estético negro e africano e um padrão estético e cultural branco europeu. Porém, a presença da cultura negra e o fato de 45% da população brasileira ser composta de negros (de acordo com o censo do IBGE) não têm sido suficientes para eliminar ideologias, desigualdades e estereótipos racistas. Ainda persiste em nosso país um imaginário étnico-racial que privilegia a brancura e valoriza principalmente as raízes europeias da sua cultura, ignorando ou pouco valorizando as outras, que são a indígena, a africana, a asiática.
Assim sendo, a educação das relações étnico-raciais impõe aprendizagens entre brancos e negros, trocas de conhecimentos, quebra de desconfianças, projeto conjunto para construção de uma sociedade justa, igual, equânime."
O TRABALHO NEGRO, FAZENDO ARTE E CONSTRUINDO O BRASIL
O branco inventou que o negro
Quando não suja na entrada,
Vai sujar na saída, ê
Imagina só
Vai sujar na saída, ê
Que mentira danada, ê
Na verdade a mão escrava
Passava a vida limpando
O que o branco sujava, ê
Imagina só
O que o branco sujava, ê
Imagina só
O que o negro penava, ê
Mesmo depois de abolida a escravidão
Negra é a mão
De quem faz a limpeza
Lavando a roupa encardida, esfregando o chão
Negra é a mão
É a mão da pureza
Negra é a vida consumida ao pé do fogão
Negra é a mão
Nos preparando a mesa
Limpando as manchas do mundo com água e sabão
Negra á a mão de imaculada nobreza
Na verdade a mão escrava
Passava a vida limpando
O que o branco sujava, ê
Imagina só
Eta branco sujão.
(Gilberto Gil - A mão da limpeza - 1984)

63 comentários:

  1. Ana Paula Dantas 247222 de outubro de 2011 05:34

    Esta é uma letra bem sugestiva e verdadeira, por que só o negro leva a fama enquanto há muitos brancos que usam o negro como subterfúgio para cometer suas atrocidades.

    ResponderExcluir
  2. Engraçado, como o ser humano é capaz de desconhecer suas origens e parte de sua cultura, afinal, pelo menos aqui no Brasil, ninguém é "puro-sangue".
    Ler esta letra me fez lembrar de uma outra, numa intertextualidade cerebral:

    http://letras.terra.com.br/gabriel-pensador/66182/

    ResponderExcluir
  3. No Brasil existe uma vasta miscigenação, porém ainda tem muito preconceito entre as raças, principalmente quando esta relacionado com os negros. Esses preconceitos que encontramos em diversas etnias, não é compatível com a realidade, pois o homem mais poderoso do mundo é negro (Barack Obama).

    ResponderExcluir
  4. Concordo com a Ana Paula, pois muitas das riquezas do Brasil, foi dada pelo esforço de muitos negros, porém quem leva a fama é o branco.

    ResponderExcluir
  5. Hoje em dia ainda existe esse tipo de "chacota" contra os negros. Acredito que as pessoas deveriam dar mais moral aos negros deste país. Sem eles a nossa história não seria a mesma.

    ResponderExcluir
  6. Ainda existe muito um certo "pré-conceito", não somente contra negros, mas também contra varias etnias. O preconceito racial continua infelizmente, mas independente de 'cor', classe social, origem... somos todos iguais, seres humanos e cabe a cada um de nós nos portarmos como.

    ResponderExcluir
  7. JULIANA 4851
    ACHO MUITO JUSTO QUE A EDUCAÇÃO DE UMA ATENÇÃO MAIOR AO ASSUNTO "PRECONCEITO", SEJA QUAL FOR O TIPO, JÁ ESTÁ NA HORA DO PAIS NÃO TOLERAR MAIS ESSES ABUSOS.
    O NEGRO, INDIO E OS IMIGRANTES CRIARAM NOSSO PAIS, NOSSAS RAIS E NOSSA CULTURA, COMO A MUSICA FALA SE O NEGRO É SUJÃO, MAIS SUJÃO E O BRANCO EUROPEU QUE UTILIZOU A MÃO DE OBRA NEGRA, SIMPLISMENTE POR SE ACHAR SUPERIOR.
    "POBRE EUROPEU", POBRE PRINCIPALMENTE DE ESPIRITO, POIS O NEGRO, INDIO, MUSSUMANO, HOMOSSEXUAL, GORDO, MAGRO OU SIMPLISMENTE SER HUMANO E CAPAZ DO BEM, QUANTO DO MAL, NÃO É A SUA CARACTERISTICA RACIAL OU DE ESCOLHA SEXUAL QUE DEIXA-O MAIS SABIO, INTELIGENTE OU PESPICAIS.
    NOS COMO PROFESSORES TEMOS QUE TOMAR UMA POSTURA FIRME CONTRA O PRECONCEITO SEJA ELE QUAL FOR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Áurea Carolina 4699 5º Ped B23 de fevereiro de 2012 04:03

      Já não é de hoje que encontramos fortes traços da cultura racista nas salas de aula. Um exemplo disso é a demonstração dos processos de aculturação impostos pelo homem branco no período de colonização, que os livros didáticos apresentam como se tivesse ocorrido de forma passional.
      Contudo, sabemos que não há a possibilidade de mudar a forma preconceituosa de pensar de certas pessoas, e somente podemos inserir pouco a pouco a luta pela igualdade étnica na educação brasileira. Nós enquanto educadores e co-responsáveis pela formação de cidadãos, temos o dever de propiciar instrumentos para que um pensamento mais igualitário seja, futuramente, predominante em nossa sociedade.

      Excluir
  8. falar de escravidão a brancos que são escravos da propia inguinorancia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falar de escravidão, a brancos que são escravos da própria ignorância

      Excluir
  9. Danielle dos Santos Queiroz 5º Pedagogia B8 de março de 2012 09:00

    Acredito que a escola tem um papel de extrema importância ao inserir em sala de aula a educação das relações étnico-raciais, pois creio que se esse tipo de aprendizagem for inserida desde cedo para os educandos,eles terão a oportunidade de conhecer suas culturas.
    Por isso, cabe a todos nós futuros educadores,proporcionarmos aos educandos meios para que eles possam vivenciar esse aprendizado de forma benéfica.
    A escola dever estar presente em todos os sentidos, conhecendo a diversidade de seus alunos e tornando-se um instrumento para o crescimento cultural de todos.
    Devemos plantar essa sementinha da igualdade em nossas crianças, que são o futuro da nação!

    ResponderExcluir
  10. Ana Maria disse:

    O homem é escravo de si mesmo,
    escravo de sua ambição e de seu preconceito.

    ResponderExcluir
  11. Juliana 4224 5ºPed A16 de julho de 2012 11:01

    Embora um país que julga sem preconceitos, livre de suas opiniões, temos Leis que pinem o preconceito. O Brasil é um país que ainda existe discriminação de forma geral, uma prova disto é o texto citado acima, não só com o negro,mas também com os índios.É uma visão que tem que ser quebrada por meio da educação,nas trocas de conhecimentos valorizando a diversidade do nosso país.
    Responsabilidade essa que cabe ao professor mediar e intervir esses conflitos, para cada um respeite o seu espaço.

    ResponderExcluir
  12. Juliana 4224 5ºPed A16 de julho de 2012 11:15

    Concordo com a Áurea Carolina,e enfatizo que o professor tem grande importância na luta contra a discriminação promovendo debates,respeitando a diversidade cultural,pois como a colega Áurea cita que lutando aos poucos certamente não conseguiremos mudar os olhares preconceituosos.

    ResponderExcluir
  13. Nicole Cristina da Costa 4775 5º Letras

    Eu concordo. O professor, mediante o apoio da escola, deve proporcionar atividades que levem o aluno a "pensar fora da caixa", ou seja, como revela a música de Gilberto Gil, mostrar que essa ideia que se criou do negro não equivale ao que ele realmente representa. Na escola dificilmente os alunos aprendem sobre a cultura do negro, sobre sua literatura... Somente o mesmo clichê: escravidão.

    ResponderExcluir
  14. Káren 5ºPed A 431725 de julho de 2012 14:47

    A letra da música mostra o preconceito que ainda existe no nosso pais e não é apenas com os negros mas sim em diversas situações e diferentes pessoas indios, gordos, deficientes entre muitos outros. Os negros ainda sofrem muito com o preconceitos mas existe muitos outros que ficam deixados de lado e que a cada dia esta crescendo.

    ResponderExcluir
  15. Káren 5º Ped A 431725 de julho de 2012 14:51

    Concordo com Juliana quando diz que o preconceito precisa ser trabalhado na escola é acredito que deve ser inserido essse tema na educação infantil pois é comum percebemos o preconceito nas crianças pequenas estimuladas pela família. Acabar com o preconceito tambem é papel do professor e de todos.

    ResponderExcluir
  16. Cássia Regiane Feitosa Matos RGM 446226 de julho de 2012 15:10

    Acredito ser impossível trazer um pensamento igualitário para toda a sociedade, porém, somente na escola (sala de aula) podemos transformar a realidade que reina no mundo preconceituoso de hoje em dia. Todos juntos podemos mudar esta realidade.

    ResponderExcluir
  17. Danielle Verzinhace RGM: 461630 de julho de 2012 18:36

    Acredito que o melhor lugar para se discutir o preconceito é a escola e em principal a sala de aula e cabe ao professor essa intermediação entre a sociedade pré conceituosa e um ser que esta em formação e neste momento transformar essa realidade que vivemos hoje em passado enterrado e modificar a visão futura em pessoas iguais, justas, conscientes e críticas.

    ResponderExcluir
  18. Vanessa Casarini RGM:50471 de agosto de 2012 08:40

    O preconceito existe e vai continuar existindo,existem pessoas que não mudam suas opiniões nem seus conceitos...Mas nós como educadores temos que procurar mudar isso, ensinando as crianças em sala de aula que as pessoas são todas iguais independentes da sua raça,cor, religião,etc...Que todos devem serem tratados com igualdade e respeito. Esse é o nosso papel!

    ResponderExcluir
  19. Márcia de Jesus 4481

    Acredito que o preconceito deve ser trabalhado em sala de aula, é muito difícil mudar as pessoas, mas o professor deve estar a cada dia atualizado e preocupado em orientar e reeducar principalmente as crianças, desde a educação infantil, que todos somos iguais independente de qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  20. Acredito que o preconceito deve ser trabalhado em sala de aula, para mudar as concepções que o mundo criou diante do negro e sua cor.
    Sendo que o preconceito existe de diversas maneiras cor ,raça, crença etc.
    Diante dessa realidade deve ser trabalhado a aceitação das diferenças em sala de aula, na esperança de um dia vencer o preconceito e seus derivados.

    ResponderExcluir
  21. Renata Barbosa 442716 de agosto de 2012 17:38

    Acredito que os professores devem sim, fazer um trabalho em sala de aula que combata o preconceito contra o negro e valorize não somente sua cor mas sua cultura.

    ResponderExcluir
  22. ANGELA MONDECK RGM:4643

    Vergonhoso que em pleno século 21 ainda exista tanto preconceito no Brasil, sendo que quase a metade da população e formada de pessoas negras,se o Brasil nao adotar medidas rigorosas para combater, essa verdadeira praga que vem nos assolando o nosso pais a séculos,nao so medida que puna mais principalmente uma medida que eduque,começando pelas escolas no qual é começo de tudo e assim formando cidadões, e que respeite todas as raças e valorizem as culturas.

    ResponderExcluir
  23. Chega a ser ridículo sabermos o quanto o nosso Brasil aina sofre com preconceitos. O professor tem que trabalhar em sala de aula não só o racismo, mas sim tem que falar que o nosso Brasil é um país completamente miscigenado, formado por inúmeras culturas, em que ninguém é melhor do que ninguém. Dessa forma o respeito de um com o outro seria cada vez maior.

    Thieli Cristina 6º ped A 4371

    ResponderExcluir
  24. Concordo com o comentário da Káren, ao dizer que no nosso país não existe apenas preconceito com relação aos negros, mas também em diversas situações, em diversas culturas. Sendo assim a escola tem que trabalhar sobre todos os tipos de preconceitos que pode ser gerado dentro e fora da escola.

    Thieli Cristina 6° ped A 4371

    ResponderExcluir
  25. Simara Delmiro 46203 de setembro de 2012 21:08

    Diante uma realidade tão cruel, de preconceitos, racismos. A educação deve conscientizar desde cedo as crianças sobre as diferenças de etnia, sobre a igualdade e respeito com o próximo. Tratando o assunto com importância para que esta visão mude nem que seja aos poucos.

    ResponderExcluir
  26. Sabemos que o preconceito existe,tanto em sala de aula,quanto fora dela,porém nós educadores devemos intervir com muito diálogo e clareza,deixando claro as futuras gerações que o respeito ao próximo e fundamental.

    ResponderExcluir
  27. Gabriela Barbosa RGM 467611 de setembro de 2012 17:43

    É fato que o pré conceito está presente em nossa sociedade, por mais que tanta gente fale que tem a cabeça aberta e é contra qualquer tipo de discriminação. E infelizmente grande parte das nossas crianças aprendem isso dentro de casa. É neste momento, acredito eu que entra o professor, o educador com a função de intervir e mostrar para as crianças desde cedo que não é correto discriminar, separar, diferenciar uma pessoa da outra, que independente de cor e raça somos sim todos iguais!

    ResponderExcluir
  28. Acredito que predomina sobretudo em nossa sociedade, paradigma como refere-se a música de Gilberto Gil, onde o negro é inferiorizado.
    Muitos ditados, disseres populares e chacota, tem como alvo o negro.
    O que acaba contribuindo mesmo que inconsciente, a formação pré-conceito a pessoas dessa etnia.

    ResponderExcluir
  29. È triste ver que o preconceito existe, especialmente em uma época em que tudo se transforma, evolui, novas idéias chegam, novos pensamentos e o preconceito continua ali intacto na mente das pessoas, causando a inferioridade com o outro e muitas vezes a exclusão.

    ResponderExcluir
  30. Concordo com a Danielle quando afirma que o melhor lugar para se trabalhar o preconceito é a escola, realmente pois é um pouco mais simples de penetrar na mente da criança, pois ela ainda não esta corrompida pelo sistema da sociedade,desde cedo é fundamental trabalhar este assunto para que ao crescer ela se respeite e respeite o próximo dentro de suas diferenças

    ResponderExcluir
  31. Rodrigo Sanches - 449620 de setembro de 2012 06:23

    Concordo com as amigas acima, mas para tanto se a escola é o melhor lugar pra tratar os temas etinicos raciais, devemos considerar que se os profissionais atuantes devem ter o dominio do assunto e muita clareza em suas concepções, pois enquanto formadores de piniões é imprecindivel que minhas abordagens sejam isentas, só assim consiguiremos transformar uma questão cultural e gradativamente eliminando a segregação e oe racismo em meio a nossa sociedade.

    rodrigo 4496

    ResponderExcluir
  32. Marcos Costa, 4779.
    Meus amigos, a as relações étnico- raciais no Brasil são tratadas de forma equivocada, existe no Brasil a cultura branca e outras... Como descreve o texto acima, acredito que a sociedade precisa aceitar que o nosso país é racista a partir daí, poderemos enxergar o que pode ser feito para extinguir essa forma de violência e chegarmos numa sociedade menos desigual. Já que a ideologia racista é uma construção humana, como desconstruí-la se a ignorarmos? Concordo com o Rodrigo acredito que a escola é uma das maiores ferramentas para a manutenção do preconceito,pois o discurso igualitário quando mal interpretado acaba por ignorar as diferenças existentes entre os grupos étnicos, desse modo o racismo passa despercebido por quem não o sofre de forma direta ou indireta

    ResponderExcluir
  33. Cristiane Fernanda de Jesus Gomes 44193 de outubro de 2012 14:05

    Concordo com o Rodrigo que precisamos ter domínio do assunto e clareza para tratar do preconceito racial na escola, pois em pleno XXI não podemos continuar pensando dessa forma, onde tudo evolui menos alguns pensamentos.
    Cristiane 4419

    ResponderExcluir
  34. Larissa Tuani 475725 de outubro de 2012 19:35

    temos que estar em evolução constante, não esquecendo nunca de evoluir juntamente com nossas tecnologias, os nossos conhecimentos e nossos pré conceitos.

    ResponderExcluir
  35. Raquel Eliza 6º letras 413928 de outubro de 2012 11:00

    A maior escravidão que pode existir não é da cor da pele, sim dos pré conceitos formados a respeito de um determinado assunto, a cor da pele, opção sexual, origem, deficiência física ou mental,religião,idade, tudo isso é apenas uma desculpa para quem sofre do grande mal da alma que é o pré-conceito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. dizem que há diferenças entre pessoas, não acredito, todas temos de comer beber, trabalhar, todos temos ocupações então para que perder tempo em pensar por que nasceu preto, branco, japones ou irlandes

      Excluir
  36. Pode-se ver muito falar de escravidão, no tempo das senzalas, mas se formos olhar hoje ainda temos amarras que aprisionam os seres. elas são: analfabetismo, falta de oportunidade,pode se dizer que é a cegueira intelectual, torna o ser um escravo de sua ignorância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cleudes Rocha D'vanaide 6º letras 481828 de outubro de 2012 11:13

      Eu concordo pois apesar de não ver essa tal escravidão, ela existe, é real, e a sentimos em uma fila de pré seleção de emprego, por exemplo, numa roda de amigos, até num papo informal entre pessoas de diferentes classes sociais, um bom exemplo é o patrão com a empregada doméstica que presta serviços em sua casa. Em novelas que mostram a vida de profissionais de classes diferentes.

      Excluir
  37. ANA PAULA DE OLIVEIRA SILVA 4220 6ºA PEDAGOGIA

    O preconceito nos dias de hoje ainda é muito forte, as vezes o preconceito é imposto de uma forma que o individuo nem percebe que tem. Muitas vezes o preconceito vem de casa, dos próprios pais "ignorantes" que vão passando de geração a geração essa barbaridade. A escola é fundamental para orientação de seus alunos nessa questão, a escola tem que ter um trabalho continuo em relação a discriminação racial, pois se criança não tem orientação em casa e também não tem na escola, ela se tornara um aluno preconceituoso. Pois não adianta tentar mudar o pensamento de um adulto que já tem suas ideias formadas. Assuntos étnicos -raciais tem que ser tratado logo no primeiro ano inicial da escola, pois o papel do professor é a formação de cidadãos, e principalmente cidadãos com ética, responsabilidade, deixando a ignorância de lado.

    ResponderExcluir
  38. Ana Karen Santos de Jesus 4678
    É engraçado como falar de preconceito tira qualquer ser humano de seu lugar de conforto, uns dizem eu “não sou”, outros dizem “não apoio" quando na verdade o ser humano é preconceituoso. A escola é sim um lugar para trabalharmos todas as questões que despertam pré-conceito, em relação aos negros o educador deve despertar nas crianças o desejo de saber mais sobre a história, falar da escravidão e tudo mais, porém, acreditam que já esta na hora de falarmos mais, não só que o negro foi um povo sofrido, que foi escravizado porque era forte, ta na hora de falarmos que o negro foi escravizado porque era, é, inteligente, falar das conquistas, do espaço que foi alcançado por eles na so0ciedade, não devemos despertar dó nas nossas crianças em relação a eles e sim orgulho e um olhar de igual para igual.

    ResponderExcluir
  39. Jacqueline de Souza Moura Ribeiro 4532 6º B Pedagogia3 de novembro de 2012 18:01

    Lamentavelmente o preconceito ainda existe.
    Portanto devemos sempre estar nos enriquecendo de conhecimentos, e orientar aos nossos alunos de que a igualdade deve sempre existir dentro de nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  40. Bárbara Maria de Oliveira - RGM: 41985 de novembro de 2012 04:51

    Este texto é muito interessante, pois nos remete a uma questão que vamos com toda certeza enfrentar na sala de aula, que é esse conflito étnico-racial. Muitas crianças já vem de casa com esse preconceito, acreditando que por causa de cor, estatura, classe social, alguns são superiores ou inferiores aos outros.
    É uma visão que temos que modificar dentro da escola, mostrar que apesar das diferenças todos somos iguais e também que é na diversidade que vivemos, aprendemos e evoluímos.

    ResponderExcluir
  41. Bárbara Maria de Oliveira, RGM- 41985 de novembro de 2012 04:58

    Concordo com a Ana Paula , do 6º A, é muito mais facil modificar o pensamento de uma criança, que sua personalidade ainda está em fase de formação, do que o pensamento de um adulto. E é essa nossa importância na vida dessas crianças, fazer com que desde cedo conheçam as diferentes etnias e culturas e as respeitem como parte da sua prórpia cultura e etnia.

    ResponderExcluir
  42. fabricio vital - 45057 de novembro de 2012 14:54

    a escravidão não acabou continuou de outra forma, a unica coisa que deram foi a sensação de liberdade como em outros exemplos da historia como o do sistema feudal para o burgues o pior detudo é que eles não só o brasil como também o mundo enriqueceram foi o mundo e mesmo assim não foram valorizado mais a verdade não se insinua e um dia ela se manifesta com toda força e muitos se envergonharam se tiverem conciência do que fizeram com seus semelhantes e sofroram de remorço

    ResponderExcluir
  43. VANESSA CAMILO 2° SEMESTRE DE LETRAS; RGM 4408
    08/11/12 13:07H

    Eu concordo plenamente com a Ana Paula do 6°A e com a Bárbara Maria de Oliveira, as crianças são sinceras e sensíveis. Ensinar desde cedo que a discriminação é uma atitude horrível é mais fácil do que tentar ensinar quando já está com seu pensamento e opinião formada.
    A nossa sociedade só mudará de atitudes quando pensarmos em deixar pessoas melhores para o nosso planeta.

    ResponderExcluir
  44. Alexandra 6ºB PEDAGOGIA

    O preconceito nos dias de hoje ainda é muito forte, as vezes o preconceito é imposto de uma forma que o individuo nem percebe que tem. Muitas vezes o preconceito vem de casa, dos próprios pais "ignorantes" que vão passando de geração a geração essa barbaridade. A escola é fundamental para orientação de seus alunos nessa questão, a escola tem que ter um trabalho continuo em relação a discriminação racial, pois se criança não tem orientação em casa e também não tem na escola, ela se tornara um aluno preconceituoso. Pois não adianta tentar mudar o pensamento de um adulto que já tem suas ideias formadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa questão sobre o preconceito é algo que deve ser trabalhado com a criança dentro da escola de uma forma que ela venha aprender valores e a respeitar o seu próximo. a escola juntamente com os pais e professores tem um papel fundamental nesse trabalho, se todos não trabalharem juntos com um mesmo pensamento e objetivo nada adiantará somente a escola orienta-la.
      Elzineide RGm 4372 Pedagogia A.

      Excluir
    2. Concordo com a Alexandra quando diz que a escola tem papel fundamental já que muitas vezes o preconceito vem de casa.
      Elzineide RGM 4372 6 ped A.

      Excluir
  45. Thais Evelin Albino - 457812 de novembro de 2012 13:46

    Infelizmente em nosso país, ainda existem pessoas com preconceitos, e que acaba levando isso em sala de aula. Acredito que o dever do professor seja passar isso de uma maneira clara para seus alunos, que o respeito ao próximo é fundamental, que não devemos incentivar as pessoas e seguirem esse caminho, pois são essas pessoas que mudaram nosso futuro, e espero que tenham consciência e mude para melhor.

    ResponderExcluir
  46. Aureni caldeira rgm: 4844 4º Letras
    O preconceito realmente exite,porém nós como futuro docentes precisamos buscar meios para mudar essa situação.Para que nossos alunos se respeitem e que exita essa sensibilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, pois esclarecer os alunos é função do professor, por isso é importante valorizar a prática social.

      Excluir
  47. o preconceito existe mesmo Aureni, mas as pessoas que perdem tempoo com isso não sabem que um dia quando menos se esperar precisa da pessoa que desprezou.
    IVANETE VIEIRA LOBO RGM:4441

    ResponderExcluir
  48. Silvana vicente da cunha ramalho rgm 4249 4º Letras.
    O preconceito realmente exite dentro do próprio ser humano que não assumi as suas origens e seus valores dentro de uma sociedade a conviver com as suas diferenças.

    ResponderExcluir
  49. BRUNO DE JESUS RGM: 4854
    O preconceito é a forma que encontraram de mostrar tudo o que há de ruim dentro da pessoa que pratica esta ação.
    De nada adianta falar de Paz se a pessoa não sabe nem diferenciar a própria Guerra que está dentro dela quando se torna preconceituosa.

    ResponderExcluir
  50. Natasha dos Santos Donha RGM: 4498
    O preconceito é a forma que encontraram de mostrar tudo o que há de ruim nas pessoa e fica mais visível ainda pra quem pratica esta ação.
    De nada adianta falar em preconceito se a própria pessoa não sabe perceber que preconceituosa está dentro dela e não percebe o quando é preconceituosa.

    Responder

    ResponderExcluir
  51. MONICA CUNHA - RGM 5184
    PED A

    AS PESSOAS QUE TEEM PRECONCEITO SÃO PESSOAS QUE NÃO TIVERAM UMA BOA ESTRUTURA FAMILIAR , OU SEJA, QUE NÃO FORAM ACEITAS E NÃO SE ACEITAM COMO SÃO . TODOS NÓS SOMOS IGUAIS SÓ PENSAMOS DIFERENTES POIS TEMOS NOSSOS PRINCÍPIOS E VALORES

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio que seja isso,acredito que o fato de não ser aceito seja por qualquer motivo, não significa que devemos fazer o mesmo.E sim seguir como exemplo e não cometer o mesmo que erro que um dia nos causou muito mal.

      Excluir
  52. Leila Cristina RGM 5827

    O preconceito é desenvolvido por parte das pessoas preconceituosas que buscam nas vítimas do preconceito o que elas não tem de igual a todos.O preconceito leva á marginalização discriminação e a violência,por tanto não vamos cometer o mesmo erro que muitos estão cometendo,todos nós somos iguais perante Deus.

    ResponderExcluir
  53. Isabel Cristina RGM 7045 1º MAT PED16 de março de 2014 17:37

    Nossas crianças desde cedo, tem com elas induzido o senso da critica, do preconceito e da discriminaçao, enquanto nao mudarmos nosso jeito antiquado de pensar, e passa-los para , ás geraçoes futuras, continuaremos a viver na violência do desrespeito e da intolerância!

    ResponderExcluir
  54. Concordo com várias pessoas aqui, e sei como é importante a interação sem discriminação seja qual for. Isto já vem de um passado que "impõe" esta situação e que até hoje muitos sofrem por causa de ações alheias. Caberá somente a educação contínua a minimização, ou melhor, que se consiga a extinção dessa segregação.

    ResponderExcluir